Acabo de assistir no cinema o filme De rouille et d’os, um dos primeiros filmes a ser exibido hoje no Festival de Cannes (leia matéria da RFI em português sobre o filme). Do diretor Jacques Audiard, que fez também O Profeta (2009) e De tanto bater meu coração parou (2005), como esses dois últimos tem luta e combate como um dos cenários de fundo, mas não o tema principal.

O filme é a adaptação de um livro, a história começa quando Ali, um segurança de uma boate em Nice cruza seu destino com a treinadora de baleias Stéphanie, interpretada pela atriz francesa Marion Cotillard, que recebeu o Oscar por seu papel em Edith Piaf. Após um acidente Stéphanie tem as pernas amputadas e vai encontrar em Ali uma maneira de superação e aceitação de sua nova vida, seu novo corpo, sua nova condição. Ali é um pai solteiro, pobre e que mora na garagem da irmã e tem uma relação difícil com o filho de cinco anos. De uma maneira realista esses dois mundos tão diferentes vão se encontrar e os três tornam-se sobreviventes de suas próprias histórias.

::::

O blog anda meio abandonado, mas continuo atualizando a lista de Leituras e a nova seção “Filmes