As academias não tem mais o que inventar. Passando de ônibus por uma ali da José de Alencar, vi que o pessoal está fazendo os exercícios agora como se estivesse numa danceteria. Luzes coloridas e até um globo de luz! Só faltou uma pista estilo Os Embalos de Sábado à Noite e o canhão de fumaça. Se é que não tem e eu apenas não consegui ver. Não sei que modalidade nova é essa. São tantas hoje… body combat, power jump, jump fit, aero jump. Tudo grego para mim. Sou do tempo da aeróbica. Estes dias comentei isso durante a ginástica laboral no trabalho. Parecia que eu estava falando sobre algo do tempo dos meus avós, mas isso foi nos anos 80 e acho que na década de 90 também… tinha até umas competições que passavam na tevê.

Sei lá, eu sou supeita para falar. Nunca suportei esse ambiente de culto ao corpo. Fiquei um mês numa academia, só para não desperdiçar a mensalidade que paguei adiantada. O único exercício que gosto é a natação. E por falar nisso, que saudades da natação! Semestre que vem preciso retomar. Infelizmente terei que ter forças para suportar todos os micos que terei que pagar novamente. Como não sou exímia nadadora, perdendo até para a terceira idade mais treinada, ficar um tempo afastada é fatal. Na primeira aula, com certeza, não nadarei 25m sem parar no meio da piscina. Mas pode ser que não… meu desempenho até que tinha melhorado, mesmo com algumas paradas. Veremos.

Anúncios