“Ouçam: – Marilyn Monroe morreu porque se despiu sem amor. E aí está a palavra: – amor, amor. Foi o remorso, foi a humilhação da nudez sem amor. Só o ser amado tem o direito de olhar um simples decote. É apenas um decote, mas só o ser amado pode olhar a linha nítida, tão nítida que separa os seios.”

Este trecho faz parte do livro de memórias do Nelson Rodrigues, A Menina sem Estrela, que li recentemente. Lendo isto e lembrando um poema de Alice Ruiz que gosto muito:“Depois que um corpo comporta outro corpo, nenhum coração suporta o pouco”, vejo que traí dois dos meus autores preferidos. Ou eles estão errados ou eu os traí mesmo. É claro que tem que se levar em conta o contexto, a época em que Nelson Rodrigues escreveu isto. Não era aquele tempo que se a mulher deixasse o calcanhar a mostra já era considerada vulgar, mas também não tinha a liberação sexual e os costumes para se vestir que temos hoje.

Tudo isto me leva a fazer divagações sobre o sexo sem amor. Estas duas coisas que os homens já entendem como distintas há muito tempo e as mulheres estão aprendendo a diferenciar. Sexo é bom de qualquer forma. Mas ainda acho que com amor tem mais emoção, mais entrega, mais carinho. Mas sem sentimento tem vantagens muito boas também. Isso significa que não vou me suicidar como fez Marilyn Monroe. Mas com isso acabo de matar duas idéias, a do “anjo pornográfico” e a de Alice, que esta para mim era quase um lema de vida. E ver uma poesia morrer, perder seu sentido é algo triste, pois a poesia devia ser absoluta, reinar como verdade. E para mim só não foi mais triste mudar de idéia, porque tudo isso está me fazendo muito bem e como diz uma frase de Novalis:

“Pois nenhuma pessoa se conhece enquanto só for ela mesma e não simultaneamente também uma outra.”

Com isso consigo entender como as pessoas conseguem se desprender daqueles que dizem amar com mais facilidade. Já sofri muito por não entender isso. Se fosse amor, como diz Nelson Rodrigues, seria eterno. É bom eu ter consciência disso tudo. Mas da maneira como estou levando a vida atualmente, não estou parando para pensar, não estou fazendo planos, sou como um balão ao vento, voando sem direção.