You are currently browsing the daily archive for 17 fevereiro , 2005.

Por uma dessas coincidências do destino acabei indo ao show do mago da música. Há muito tempo sabia que haveria este show, mas como era no mesmo dia do aniversário de meu pequeno irmão, desisti de ir. Porém, ontem, uma hora antes do show uma amiga me ofereceu um convite de outra que não poderia ir. Aceitei na hora e fui conferir o mestre. Não conhecia nada da sua música. A única referência que tinha dele era do documentário Janela da Alma e dos perfis que li para o show. Dizia que ele tirava música de “instrumentos inusitados” como uma chaleira. Achei interessante e pioneiro de sua parte, pois ultimamente tem surgido vários grupos que tiram som de latas de lixo e outros objetos, como o Stomp.

Pois os show foi maravilhoso. Me impressionou a música que ele tira desde um instrumento clássico como um piano, até o de um apito infantil. Até mesmo o momento em que ele bebe água no show tem som, pois ele tira música da garrafinha de água mineral e da água que serviu no copo. Você vê a paixaõ que ele tem pela música, chega a transpirar de seus poros e contagia o público. Ele mesmo disse que sua religião é a música.

O show começou com uma entrada triunfal de Hermeto tocando um berrante, de onde saiu um som de sax… não sei que notas ele faz, fato é que com sua mão em frente a abertura do berrante ele conseguiu tirar vários tipos de sons. Depois ele tocou uma chaleira, como se fosse trompete! E no final, o inusitado instrumento soou um som de berrante! Como pode? Mas o músico não se contentou e pôs todo mundo para emitir sons com ele. E também não faltaram a sanfona, uma flauta esquisita, violão e viola. Estes dois últimos tocados e embalados pela voz aguda de sua “patroa” Aline Morena.

Mas de meus olhos observadores e minha língua afiada não escaparam uma comparação. Hermeto estava vestido de calças brancas e uma camisa vermelha com estampas. Quando ele tirou seu chapéu para agradecer os aplausos, e sua barba e cabelos compridos e brancos ficaram mais evidentes parecia o papai noel, e pelos trajes, que estava de férias em Miami. Mas bobagens à parte, o show foi maravilhoso. A música tem um poder de se traduzir em todas as linguagens e fazer a gente viajar embalada pelos seus sons. Linguagem esta que entende tudo, como na dupla que ele fez com Aline Morena em que os sons que ela emita com a boca pareciam conversar com os da sanfona. E eu, sem entender nada, conseguia compreender tudo.

E é ao som de sua música que publico este post agora.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 24 outros seguidores

Twitter

Top Clicks

  • Nenhum

Blog Stats

  • 255.139 hits
fevereiro 2005
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28